quarta-feira, 13 de junho de 2018

O leão comerá palha


A profecia de Isaías 11.1-9 é um dos trechos mais belos da Bíblia. Infelizmente, também é um dos mais controversos. Submeto esta interpretação para que outros a aceitem ou critiquem. Proponho uma leitura calma, sem pressa, do que escrevi a seguir. Eu tentei expressar o significado das passagens do modo como deveriam sempre ser entendidas, mas usei como exemplos algumas coisas que fazem muito sentido para os que vivem na mesma época que eu. Talvez o que escrevi não faria sentido para os que viveram duzentos anos atrás, mas provavelmente ainda fará sentido para os que viverem daqui a duzentos anos.
1. Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará.
Claramente uma referência ao Messias, o Cristo. Havia um rei da linhagem de Davi no trono de Judá nos dias em que Isaías proferiu esta profecia. Contudo, não era dele que Isaías estava falando. A referência é ao Senhor Jesus. Ele é o Cristo, a Raiz (o Filho) de Davi, o herdeiro do trono. É do reino do Messias que Isaías fala neste trecho.
2. E repousará sobre ele o Espírito do Senhor, o espírito de sabedoria e de entendimento, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do Senhor.
O Espírito do Senhor é o espírito de sabedoria, de entendimento, de conselho, de fortaleza, de conhecimento e de temor do Senhor. É um único e mesmo Espírito do Senhor que reúne em si mesmo todas essas características. O versículo distribui esses atributos do Espírito Santo em três pares. E os pares se combinam, de forma que um item explica o outro dentro do par e os primeiros itens de cada par se relacionam entre si, assim como os segundos itens.
A sabedoria é essencial para o entendimento. Não há entendimento sem sabedoria.
Conselho, aqui é a reflexão prévia, é pensar nos detalhes, nos planos, nos possíveis contratempos, antes, durante e após uma empreitada. Em geral, nas Escrituras, a fortaleza, ou seja, a capacidade de vencer e de fazer-se prevalecer, depende do conselho.
Conhecimento é a característica de alguém bem informado, no sentido de que tem as informações necessárias, e que interpretou corretamente as informações que possui. Temor, alguém que tenha verdadeiro conhecimento, sempre chega à conclusão de que Deus é temível e adorável, acima de todas as coisas.
Assim, o Espírito que possui tudo isso como atributo propriamente Seu, e que é capaz de distribuir tudo isso a quem Ele quiser é que repousou sobre Cristo, como nós lemos em Mateus, que Ele veio sobre o Senhor Jesus como uma pomba.
Isso revela algumas características sobre o nosso Senhor. Ele tem a sabedoria, e o entendimento, Ele tem o conselho e a fortaleza, e Ele tem o conhecimento e o temor do Senhor. Ele sabe qual o melhor fim, e o melhor meio para alcançar o melhor fim (sabedoria). Assim, Ele entende exatamente todas as coisas, e a motivação subjacente a cada coisa. Ele é capaz de prever cada passo, e cada intercorrência. Mesmo aquilo que nos pega de surpresa, não o surpreende. Por isso, Ele tem a fortaleza, Ele prevalece em todo conflito, e, mesmo quando parece que não, Ele triunfa sobre todo inimigo. Ele conhece e interpreta tudo muito bem, e faz tudo sempre para glorificar o Pai, e para que o Pai seja glorificado por todos.
3. E deleitar-se-á no temor do Senhor; e não julgará segundo a vista dos seus olhos, nem repreenderá segundo o ouvir dos seus ouvidos.
Ele, Jesus, se deleita, tem todo o Seu prazer, Sua alegria, e Seu desejo, em glorificar o Pai - pois é assim que entendemos a expressão "deleitar-se-á no temor do Senhor." Além disso, Ele mesmo julgará, não segundo o que vê ou ouve, como homem. Ou seja, o julgamento do Senhor não será conforme o que nós lhe dizemos ou conforme o que lhe mostramos. Ele não pode ser manipulado, ou enganado. Ninguém pode explicar a si mesmo diante dEle.
4. Mas julgará com justiça aos pobres, e repreenderá com eqüidade aos mansos da terra; e ferirá a terra com a vara de sua boca, e com o sopro dos seus lábios matará ao ímpio,
Ele julgará com justiça, isto é, conforme o Seu caráter e a Sua sabedoria infinita de todas as coisas. Ele nunca errará no julgamento, porque Ele conhece os fatos e os motivos melhor do que ninguém, e Ele é o Legislador e o Juiz. Dessa forma, Ele sabe a intenção do Legislador, e sabe a intenção de cada parte no processo. Ele pode, portanto, julgar com perfeição. Note-se que a ênfase está nos pobres e nos mansos, pois estes são o alvo preferido dos injustos, inclusive dos juízes injustos. São os mansos e os pobres que, muitas vezes, sofrem a injustiça calados. Estes porque mesmo que gritassem ninguém os ouviria. Aqueles porque não são dados a gritar, e quando se dão conta já é tarde. Sempre esperam o melhor das pessoas, mas quando se deparam com o injusto, muitas vezes, não estão preparados para descobrir a maldade dos homens. Para estes, o julgamento do Senhor trará a justiça tão esperada.
Agora, a forma como Ele destruirá o ímpio é realmente maravilhosa. Ele o fará com "a vara de sua boca, e com o sobro dos seus lábios", isto é, com o evangelho. O evangelho é o meio, a pregação é o método, as Escrituras são a arma secreta. A Palavra de Deus, conforme nos foi dita por Cristo, anunciada fere a terra e mata os ímpios.
5. E a justiça será o cinto dos seus lombos, e a fidelidade o cinto dos seus rins.
Ele será sempre justo, sempre fiel, e isso será o que mantém as coisas no lugar. A honra do Senhor está, aqui, ligada à Sua fidelidade e à Sua justiça. O Senhor não é movido por inveja, cobiça, ambição egoísta, e outros motivos escusos, é a justiça e a fidelidade que Lhe interessam. É isso que motiva o que Ele faz, e é isso que estabelece o Seu reino, porque é isso mesmo que Ele é, e Ele não poderia ser de outra maneira. Ele é justo, e Ele é fiel à Sua justiça, sempre.
6. E morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará, e o bezerro, e o filho de leão e o animal cevado andarão juntos, e um menino pequeno os guiará.
O resultado do reinado de Cristo é a paz, a pacificação, a reconciliação, o perdão e o cuidado mútuos. O lobo e o cordeiro, os inimigos naturais, aqueles que não podiam andar juntos, andarão. O resultado do que Cristo está fazendo na terra será uma tal renovação e regeneração de todas as coisas que homens odiosos abandonarão sua maldade natural, seu - por assim dizer - instinto cruel, para serem servos de ovelhas, cabritos, bezerros e animais cevados, ou seja, de homens mansos, amáveis, obedientes à Palavra do Senhor. Assim, o Senhor transforma o perseguidor em perseguido, o caçador em caça, simplesmente pelo poder do evangelho. O fato de um "menino pequeno" guiar estes seres é uma amostra do nível de humildade que faz com que doutores se sentem para ouvir pastores. O orgulho do iluminista faz com que ele despreze o que o evangelho tem a dizer, e o evangelho tem algo a dizer sobre tudo. O evangelho tem a verdade para todas as áreas da vida, especialmente no que toca à ética de tudo o que se possa pensar em fazer neste mundo. Mas isto eles consideram como uma limitação muito injusta às suas aspirações de poder intelectual, político e econômico. É assim que se tornam lobos devoradores, assassinos de crianças, devoradores de viúvas. Mas o evangelho é uma vara, uma espada que sai da boca do Senhor e destrói todas essas fortalezas falsas. O homem assim enganado por si mesmo, quando quebrado e trazido à sujeição pelo evangelho, se senta para ouvir o que os "meninos pequenos" tem a dizer, porque esses "pequeninos que creem" no Senhor sabem mais do que eles, porque sabem do evangelho.
7. A vaca e a ursa pastarão juntas, seus filhos se deitarão juntos, e o leão comerá palha como o boi. 8. E brincará a criança de peito sobre a toca da áspide, e a desmamada colocará a sua mão na cova do basilisco.
Não haverá mais razão para medo. O evangelho, pregado e ensinado, crido e recebido, eliminará de tal forma o mal que poderemos até deixar nossos filhos brincarem perto daquilo que, antes era mortal e destrutivo. Como, por exemplo, hoje aquilo que eles chamam de educação é o veneno mais mortal que inoculam em nossos filhos, mas, então, a educação, remida pelo evangelho, genuinamente cristã, não será mais perigo.
9. Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, porque a terra se encherá do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar.
A igreja do Senhor é o Seu santo monte. E ela será purificada, e toda mancha será tirada. No fim, será encontrada pura, sem nenhum mal. Isso ocorre na mesma medida em que a terra fica cheia do conhecimento do Senhor. Parece que a igreja se aperfeiçoa na medida que cumpre sua missão. Ela se torna mais parecida com Cristo na medida em que conhece o Senhor e espalha esse conhecimento na terra. É enquanto ela luta contra os lobos que os lobos se tornam ovelhas. É enquanto ela prega o evangelho que, de uma forma misteriosa e mui gloriosa, os ímpios são mortos e os justos florescem.
O que, para mim, parece muito claro e inevitável para qualquer um que leia este verso sagrado, é que a promessa é que, invariavelmente, a terra será cheia do conhecimento do Senhor. Não de uma forma qualquer, mas da forma como as águas cobrem o mar. E todo o mar está coberto pelas águas. Isso é glorioso.