quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Páscoa

Porque Ele vive - isso é motivação
Posso crer - isso é reação
No amanhã - isso é esperança

Esta páscoa será grande e bendita
Uma festa de gratidão e alegria
O Cordeiro que foi morto reviveu
Por sua morte tão cruenta, vida Ele nos deu

E a garantia, o selo, a prova e a certeza
Da forma gloriosa de sua grande salvação
É que Ele fez a vida tornar a si sem precisar de esperteza
Naquele grande dia que se alegrou com a ressurreição

Sim, pois no terceiro dia de sua morte
A pedra rolou, a caverna abriu a glote
E lá não havia corpo de defunto
Só pano dobrado e bem colocado lá no fundo

O Mestre Jesus não ressuscitou correndo
Com medo dos guardas, espadas temendo
Pelo contrário, ressuscitou calmamente
Ninguém viu o momento, mas Ele saiu pela frente

A primeira a encontrá-lo, uma mulher conhecida
Era Madalena, a mulher que antes vivia prostituída
Mas liberta e transformada, se tornou a testemunha viva
De que Jesus é o dono e doador da vida

Ela viu quando expirou,
Agora via face a face o que ressuscitou
No jardim, chorando pelo Senhor
Ela teve a bela surpresa que estancou sua dor

"Maria" - ela pode ouvir a voz
E sabia que era seu Mestre
- Do amor de Cristo não se quebra nós -
Maria! Que privilégio, mulher, tiveste!

Não me toques nem detenhas
Ainda tenho tanto que fazer
Mas diga aos discípulos que se apressem
Na Galiléia ei de com eles ter

Oh Jesus, e ainda hoje fazes
E a muitos dizes: Desçam à Galiléia
E quando lá chegam se desfazem
Recebem nova vida e abrem mão da velha

E tão certo como ressuscitou é a sua vinda
Pra buscar aqueles que depois de tudo ainda
Nutrem a gloriosa esperança ao mundo avessa
De com Cristo na glória se assentar à mesa