quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Luta

Cada minuto é disputado
Isso é verdade, isso é fato
A transmissão é rápida
E a inconstância é ávida

Nessa luta entre o velho e o novo
Entre o fui que quer voltar a ser
E o não sou que quer tornar-se
Toda concentração é muito pouca

Senhor, eu sei que o vencer eu não possuo
Pois só tu tens o poder que vence o mundo
Como posso caminhar se em mim atuo?
Esse eu mesmo que estava morto no fundo?

Senhor, eu só posso caminhar se a luz mais forte do que o sol
Que alimento dá a todos os seres na mata e no paiol
E revela os mistérios escondidos nas fendas e cavernas
Espantar a escuridão acentuada pela luz das velas

É o meu conhecimento, a vela que obscurece todo pensamento
Eu preciso de uma luz mais forte que atravesse o tempo
Essa luz que está em ti e me faz chorar sempre que me vejo
E ao mesmo tempo me alegrar por te ver me vendo

Pois é assim no exato momento em que a luz brilha
Sinto nojo e aversão ao que na escuridão tanto me satisfazia
Mas sou capaz de enxergar a cruz e o sangue puro que por mim quis derramar
E vejo que não sou mais eu se cri no que fizeste por tanto me amar

Por isso é que preciso desta luz, o nome tão sublime de Jesus
Que brilha em meu peito apertado, machucado, enfeitado
Esse nome lindo que tem a pessoa que me conduz
E me faz perceber que apesar do que sou e não sou, sou amado

Ah! Meu Mestre eterno e muito querido!
Não afaste nem por um minuto de mim o teu Espírito
Sei de mim. Sou tão fraco e dependente
E digo a mim mesmo: para ouvi-lo, se atente

E essa luta que travo dentro de mim
Todo dia e noite, nalgum momento terá fim
Ao teu lado, e por teu poder, vencerei o eu
E com a Noiva cantarei: Eu sou de Cristo, e Cristo é meu.