sexta-feira, 1 de junho de 2012

Amor maior

Há um amor maior
Maior que o dia inteiro que passou
E que a oportunidade de amar que desbotou
Há um amor maior

Há um amor tal
Que se fizessem poemas e canções
Teatros e apresentações
Não teria, ainda assim, alcançado todas as suas expressões
Há um amor tal

Há um jeito de amar que é tão próprio
De quem aprendeu a perder e perdoar
A não ver apenas com um olhar
A mesmo esquecendo se lembrar
E mesmo lembrando se esquecer
Há um jeito próprio de amar

Ora, sim, eu sei o que é amar
Não porque tenha ensinado ou ajudado
Ou visto alguém que precisasse de um conselho ou de um abraço
Não porque tivesse o dia inteiro ao seu lado ouvido e caminhado
Ora, sim, eu sei o que é amar

O amor é a maior expressão do que se é
Ninguém na verdade pode ser se não amar
E um poema é só uma maneira de falar
Mas nem sempre por ser poema ele consegue demonstrar
O que realmente o amor é
Porque o amor, no fim das contas,
O amor é a maior expressão do que se é

Ora, sim, eu sei o que é amar
Sei porque não sabendo nem mesmo olhar
Aos olhos dos que como feras se põem no caminho a magoar
Eu descobri na porta pequena deste lar
Alguém que como coração de cera se derreteu por me amar
Ora, sim, eu sei o que é amar

Se dentro do coração de Deus eu pudesse esquadrinhar
Mas eu não posso pois sou pequeno e limitado
Meus olhos são sensíveis e delicados
A luz é tão forte, e poderia ter até me cegado

Se dentro do coração de Deus eu pudesse esquadrinhar
Sim, talvez, eu poderia então explicar
A razão e o motivo de hoje eu poder falar,
Com coração alegre, cheio de amor:
Ora, sim, eu sei o que é amar!

Pois há um amor maior
Maior do que eu possa explicar
Nem meus poemas ou canções
Nem minhas palavras ou expressões
Poderiam elucidar o mistério deste ardor
Que depois de tudo e tanto me fez ver:
O que é o amor.